Conferencistas

ANA ISABEL SANI

Professora Associada da Faculdade de Ciências Humanas e Sociais da Universidade Fernando Pessoa (UFP).
Doutorada em Psicologia da Justiça pela Universidade do Minho.
Coordenadora do Mestrado em Psicologia Jurídica da UFP.
Coordenadora da Pós-Graduação em Segurança Infantil da UFP (www.gsi.ufp.pt).
Coordenadora de vários cursos e pós-graduações pelo CRIAP (www.criap.com).
Investigadora na área da Vitimologia, com interesse particular pelo estudo da vitimação indirecta de crianças (violência interparental).
Intervenção sobretudo nas áreas da vitimação infantil e psicologia forense.
Várias publicações no âmbito da Psicologia Jurídica, sendo os livros mais recentes sido publicados em 2011 com o título "Crianças vitimas de violência" pelas Edições UFP, Porto e "Temas em Vitimologia: realidades emergentes e respostas sociais" pelas Edições Almedina, Coimbra.

ANA MARIA BERTÃO

Professora Coordenadora da Escola Superior de Educação do Instituto Politécnico do Porto (ESEP). Coordenadora, Psicoterapeuta e Supervisora do Centro de Intervenção Psicopedagógica da ESEP. Mestre e Doutorada pela Faculdade de Psicologia e Ciências da Educação da Universidade de Coimbra. Membro da Direcção da Sociedade Portuguesa de Psicologia Clínica (SPPC) e Responsável pela Formação em Psicoterapia da SPPC - Núcleo do Porto. Coordenadora do Mestrado em Educação e Intervenção Social da ESEP, nas especializações de Desenvolvimento Comunitário e Educação de Adultos e de Acção Psicossocial em Contextos de Risco. Tem diversas publicações, e desenvolvido investigação e intervenção em diversas áreas, essencialmente nos domínios da Educação, Saúde e Clínica.

ANA TOMÁS DE ALMEIDA

Licenciada em Psicologia pela Faculdade de Psicologia e Ciências da Educação de Lisboa e doutorada pela Universidade do Minho em Estudos da Criança, na especialidade de Psicopedagogia. Integra a área de Psicologia Educacional da Criança desempenhando funções docentes ao nível da graduação e da pós-graduação no domínio da formação de professores e de profissionais em áreas afins às ciências da educação. A sua actividade tem-se pautado pelo interesse em conjugar a docência universitária com a investigação e a intervenção social comunitária. Desta experiência destaca-se a coordenação de projectos nacionais com dimensão internacional, com destaque para a realização de várias acções integradas luso-britâncias e luso-espanholas e a participação em programas comunitários de treino e mobilidade de investigadores no espaço europeu. Dinamiza regularmente a organização de simpósios científicos no seio da Internacional Society for the Study of Behavioral Development. É coordenadora da área de Psicologia Educacional e directora do curso de mestrado em Intervenção Psicossocial com Crianças, Jovens e Famílias. Desempenha ainda as funções de direcção do Centro de Estudos da Criança da Universidade do Minho e de vice-presidente da Associação Portuguesa de Psicologia. Integra o núcleo de signatários da declaração contra a vitimização entre pares (www.kanderstegdeclatration.org). 

ANTÓNIO COIMBRA DE MATOS

Psiquiatra e Psicanalista. Presidente da Direcção da Associação Portuguesa de Psicanálise e Psicoterapia Psicanalítica. Professor Convidado da Universidade Autónoma de Lisboa. Professor Convidado Reformado da Faculdade de Psicologia da Universidade de Lisboa e do ISPA. Director Reformado do Centro de Saúde Mental Infantil e Juvenil de Lisboa. Autor de 8 livros.

ARMANDO LEANDRO

Juiz Conselheiro do Supremo Tribunal de Justiça Jubilado.
Funções actuais: 
Presidente da Comissão Nacional de Protecção de Crianças e Jovens em Risco.
Presidente da Direcção da Associação Portuguesa para o Direito dos Menores e da Família - CrescerSer.
Presidente da Comissão de Protecção de Testemunhas em Processo Penal.
Presidente da Assembleia-Geral da Santa Casa da Misericórdia de Cascais.
Presidente do Conselho de Curadores da Fundação Portuguesa Contra a Sida.
Presidente da Assembleia-Geral da Associação «Recomeçar» - reinserção de toxicodependentes.
Membro do Conselho de Curadores da Fundação Pro Dignitate.
Presidente do Conselho Jurídico do Instituto de Apoio à Criança.
Funções anteriores:
Magistrado do Ministério Público.
Juiz.
Director do Centro de Estudos Judiciários – Formação de Magistrados do Ministério Público e de Juízes.
Coordenador do Grupo CID (Crianças, Idosos, Deficientes; Cidadania, Instituições e Direitos), destinado à prevenção de maus-tratos em instituições.
Presidente da Assembleia-Geral da Associação Portuguesa para Apoio à Vítima.
Coordenador Nacional do Projecto Vida (Prevenção da toxicodependência).
Variados artigos publicados nos domínios da promoção e protecção dos direitos da criança, do jovem e da família, da formação de Magistrados do Ministério Público e de Juízes, e da prevenção primária, secundária e terciária da droga e toxicodependência.

ARMINDA SOUSA DEUSDADO

Graduada em Ciências Históricas pela Universidade Portucalense. Pós-graduada em Gestão Cultural pela Escola de Gestão do Porto. Gerente da Produtora de televisão Pequeno Farol com sociedade na mesma. Coordenadora editorial do programa semanal de ambiente “Biosfera” (RTP2). Coordenadora editorial do programa semanal de economia “Radar de Negócios” (RTPN).
Foi gestora de conteúdos da empresa Caderno Verde, sendo responsável pelas edições em livro da publicação “Ideias & Negócios” e responsabilidades editoriais da revista “Forum Ambiente”. Co-realizou e editou o documentário “Faróis e faroleiros: uma vida-prisão”. Foi coordenadora do programa de entrevistas biográficas “Cumplicidades” (NTV). Coordenou o programa de actualidade “Protagonistas” (NTV). Foi diretora de informação em rodapé das manhãs da NTV (NTV). Foi coordenadora editorial do programa “NDebates” (NTV / RTPN), do programa “Radar de Negócios” (RTPN) e foi responsável editorial pelo programa “SPA’s da Marisa” (RTPN). É realizadora e coordenadora editorial do programa “Biosfera” (ainda em emissão na RTP2). Fez coordenação do programa para pré-teenagers “Kulto”, (RTP2), coordenação e assistente de realização do programa “Europa aqui tão perto”, (RTP2), coordenação de co-realização do programa “Nos Passos de Magalhães”, realização e coordenação dos documentários: “GeoPortugal: À descoberta da vida” /UNESCO e “O Sabor da despedida” – barragem do Sabor.

CELINA CLÁUDIO

Directora Técnica do Serviço da Família da Mundos de Vida.

EDMUNDO MARTINHO

Observatório da Segurança Social, em Genebra, da Associação Internacional de Segurança Social.

EDUARDA FERREIRA

Psicóloga, a desenvolver o projeto de investigação “Reconceptualising Public Spaces of (In)Equality: Sensing and Creating Layers of Visibility” no âmbito do Doutoramento em Geografia Humana, na FCSH, UNL. É investigadora no e-GEO Centro de Estudos de Geografia e Planeamento Regional e membro do comité do Space, Sexualities and Queer Research Group of the Royal Geographical Society. Participou nas Comissões Organizadoras das Conferências: Geografias de Inclusão: desafios e oportunidades, FCSH, UNL, Lisboa, 13 Dezembro 2010; European Geographies of Sexualities Conference, Hogeschool-Universiteit Brussel, 8 a 10 de Setembro 2011; e Encontro sobre Homoparentalidade, ISPA, Lisboa, Julho 2004. É membro da Equipa Editorial da LES Online - Publicação digital sobre questões lésbicas, e membro da direção da Associação para o Planeamento da Família - Delegação de Lisboa, Tejo e Sado. Foi membro da Comissão Nacional do Ano Europeu de Igualdade de Oportunidades para Todos (2007), e de 2002 a 2008 foi membro da direção da Associação Clube Safo - Associação de defesa dos direitos das lésbicas.

EVA COSTA MARTINS

Doutorada em Psicologia Clínica pela Universidade do Minho (UM), é Professora Auxiliar do Instituto Superior da Maia (ISMAI) no qual leciona unidades curriculares nas áreas da psicologia do desenvolvimento, psicopatologia e intervenção psicológica com crianças e adolescentes. Desenvolve investigação no ISMAI-CINEICC e em colaboração com a Escola de Psicologia da UM na área da vinculação e regulação emocional em crianças e adultos. É psicóloga clínica com crianças e adolescentes e supervisora de equipas técnicas e educativas de Lares de Crianças e Jovens ao abrigo do Plano DOM.

FÁTIMA ABREU FERREIRA

Psicóloga, pós-graduada em Consulta Psicológica, Aconselhamento e Psicoterapia e doutoranda em Psicologia da Justiça na Universidade do Minho, encontrando-se a desenvolver um projeto de investigação transcultural (envolvendo Portugal, Espanha e Reino Unido) na área dos riscos e vitimização online. Investigadora na área da Sexualidade e Agressões Sexuais, Violência e Vitimologia, integrada nos Centros de Investigação UNIDEP (Instituto Superior da Maia), CINEICC (Faculdade de Psicologia da Universidade de Coimbra) e CiPsi (Escola de Psicologia da Universidade do Minho).

FRANCISCO MACHADO

Psicólogo, Professor auxiliar no ISMAI, Coordenador e docente do mestrado de Psicologia Escolar e da Educação e docente na licenciatura de Psicologia e nos mestrados de Psicologia Clínica e da Saúde e Psicologia da Justiça do referido instituto. Investigador na área da Psicologia da Família, Psicologia Escolar e Desenvolvimento Vocacional integrado no UNIDEP, centro de investigação na área de Psicologia do ISMAI, onde coordena a linha de investigação de Psicologia Escolar, da Educação e Desenvolvimento.

HUGO CRUZ

Psicólogo pós–graduado em Teatro Social e Intervenção Sócio-Educativa na Universidade Ramon Llull, Barcelona; Coordenador do Projecto “PAIS XXI”, Professor na Pós-Graduação de "Processos Psicoterapêuticos nos Sistemas Familiares", na Faculdade de Psicologia e de Ciências da Educação da Universidade do Porto.

ISABEL DIAS

Isabel Dias nasceu em Matosinhos, a 2 de Novembro de 1965. É Doutora em Sociologia e Professora Associada com Agregação da Faculdade de Letras da Universidade do Porto (FLUP), no Departamento de Sociologia, onde leciona desde 1990. Foi Diretora do Departamento de Sociologia da FLUP entre 2004 e 2008 e atualmente é vice-presidente do Conselho de Representantes. Defendeu uma tese de doutoramento sobre violência doméstica em 2003, é autora do livro Violência na família. Uma Abordagem Sociológica (2004 e 2010) e de vários artigos científicos sobre violência doméstica, família, género e envelhecimento. Tem coordenado e participado em diversos projetos de investigação no âmbito do Instituto de Sociologia da FLUP e do Centro de Ciências Forenses/CENCIFOR, Portugal.

ISABEL MACEDO PINTO

Licenciada em Psicologia pela Faculdade de Psicologia e Ciências da Educação da Universidade do Porto (FPCEUP) e Doutorada em Psicologia pela mesma Universidade, com tese intitulada “Cenários de Educação e Desenvolvimento – o meio familiar e seu impacto na educação e desenvolvimento da criança." Desde 1983, desenvolve a sua actividade profissional na FPCEUP, em regime de exclusividade, onde é Professora Auxiliar. Colabora na formação graduada e pós-graduada de psicólogos em domínios diversos da na área de Intervenção Psicológica, Educação e Desenvolvimento Humano, e no Programa Doutoral em Psicologia. É responsável por unidades curriculares do Mestrado Integrado em Psicologia e no Mestrado em Temas de Psicologia. É membro do Centro de Psicologia da Universidade do Porto, tendo participado em  diversos projectos de investigação nacionais e internacionais financiados. Frequentou várias workshops e  dois cursos intensivos para Intervenção parental de nível 4 e 5 (Group Triple P Provider Training Course e Pathways Triple P Providing Training Course - intervenção com famílias de risco), organizados pela School of Psychology da Universidade de Queensland, em Manchester. Na sequência desta formação, implementou em colaboração um Programa de Parentalidade Positiva, para pais. Autora de diversas publicações.

ISABEL MARTINEZ SÁNCHEZ (Espanha)

Professora de Psicologia Social na Universidad de Castilla-La Mancha. É doutorada em Psicologia pela Universidad de Valencia e realizou investigações em várias universidades de prestígio. Tem desenvolvido investigação na área da socialização parental e dos valores culturais, analisando a validade transcultural do modelo clásico de socialização com quatro tipologias na Espanha e Brasil, em comparação com os resultados dos Estados Unidos, onde também desenvolveu recentemente investigação. Os seus trabalhos têm sido publicados em vários livros e revistas científicas internacionais.

JOÃO SEABRA DINIZ

Psicanalista, membro Titular e Didacta da Sociedade Portuguesa de Psicanálise, reconhecido pela Associação Psicanalítica Internacional, como Psicanalista de Adultos e Psicanalista de Crianças e Adolescentes. 
Pertenceu ao Quadro da Santa Casa da Misericórdia de Lisboa, onde trabalhou em estabelecimentos para crianças privadas de meio familiar normal e com a problemática das Adopções.
Integrou, depois, como Psicólogo Clínico uma Equipa de Saúde Mental Infantil, tendo trabalhado também no Hospital Infantil de S. Roque, da S.C.M.L.
Seguidamente, foi Director do Serviço de Acção Social da Misericórdia de Lisboa.
Durante sete anos, colaborou como supervisor com a Equipa que se ocupava da área materno - infantil, no Centro das Taipas do Serviço de Prevenção e Tratamento da Toxicodependência – SPTT, em Lisboa.
Foi membro do Conselho Nacional da Família, designado par essa função, a título de Individualidade, pela Alta Comissária para a Igualdade e a Família.
Tem dado vária colaboração em revistas e nos meios de comunicação social.
Desde há muitos anos que tem dedicado especial atenção às actividades de formação, a vários tipos de profissionais.
É autor do livro “Este Meu Filho Que Eu Não Tive – A Adopção e os seus Problemas”.
De Março de 1996, a Junho de 2000, exerceu as funções de Coordenador Nacional do Projecto de Apoio à Família e à Criança.
Foi Assessor da Provedora da Santa Casa da Misericórdia, ocupando-se da problemática do apoio a crianças e suas famílias.
Actualmente dedica-se exclusivamente à clínica psicanalítica privada.
Desde Janeiro de 2010 é Presidente da Direcção da Sociedade Portuguesa de Psicanálise.

JORGE GATO

Licenciado e mestre em Psicologia pela Faculdade de Psicologia e de Ciências da Educação da Universidade de Coimbra. É terapeuta sistémico e familiar, pela Sociedade Portuguesa de Terapia Familiar. Realiza actualmente um Doutoramento na Faculdade de Psicologia e de Ciências da Educação da Universidade do Porto, com uma tese sobre parentalidade lésbica e gay em Portugal. Os seus interesses de investigação repartem-se pela Psicologia da Família, Psicologia LGBT e Género, temáticas sobre as quais tem publicado em revistas científicas e livros nacionais e internacionais.

JOSÉ CUNHA MACHADO

Professor Auxiliar do Departamento de Sociologia do Instituto de Ciências Sociais e Investigador Integrado do Centro de Investigação em Ciências Sociais da Universidade do Minho. Os seus interesses de investigação centram-se especialmente nos Estudos Demográficos e nas Metodologias da Investigação com aplicação em áreas muito vastas como a parentalidade, a pobreza infantil, a utilização de substâncias aditivas por crianças e jovens, a mortalidade infantil, o envelhecimento. Atualmente é investigador nos projetos financiados pela Fundação para a Ciência e Tecnologia, “Prevenção da exposição de crianças ao fumo ambiental de tabaco no seu domicílio” e “Prevenir o consumo de álcool em adolescentes escolarizados”, e no projeto europeu financiado pela Comissão Europeia “SHARE – Survey of health, ageing and retirement in Europe”. Tendo ocupado diversos cargos de gestão, é atualmente Diretor do Departamento de Sociologia do Instituto de Ciências Sociais da Universidade do Minho.

LABORINHO LÚCIO

Juiz Conselheiro do Supremo Tribunal de Justiça, Jubilado.
Licenciado em Direito e Mestre em Ciências Jurídico-Civilísticas.
Foi: Delegado do Procurador da República, Juiz de Direito, Procurador da República junto do Tribunal da Relação de Coimbra, Inspector do Ministério Público, Procurador-Geral Adjunto, Director da Escola de Polícia Judiciária, Director do Centro de Estudos Judiciários, Secretário de Estado da Administração Judiciária, Ministro da Justiça, Deputado à Assembleia da República, Presidente da Assembleia Municipal da Nazaré, Docente de Direito Penal na Faculdade de Direito da Universidade Autónoma de Lisboa, Ministro da República para a Região Autónoma dos Açores e, por designação do Presidente da República, vogal do Conselho Superior da Magistratura. 
É membro eleito da Academia Internacional da Cultura Portuguesa; Vice-Presidente do Conselho Geral da Universidade do Minho; e Vice-Presidente do Conselho Directivo da Fundação Centro Cultural de Belém. Integra ainda o Conselho Geral da Fundação do Gil e é membro do Conselho de Curadores da Fundação-Liga. 
É ainda, além de outras: Membro Fundador da Associação Portuguesa de Apoio à Vítima; Membro Fundador da Associação Portuguesa de Direito Europeu; Membro fundador da Associação de Criminólogos de Língua Francesa; Presidente da Assembleia Geral da Associação Portuguesa para o Direito dos Menores e da Família; Presidente da Mesa do Congresso da Associação dos Juristas de Língua Portuguesa
Tem vários artigos publicados nas áreas de: Formação de Magistrados; Organização Judiciária; Aplicação do Direito; Psicologia Forense; Direito e Processo Penal; Direito Judiciário; Cidadania e Direito; Cidadania e Educação; Sistemas de Justiça; Direito e Genética; Direito de Ingerência; Direito Tutelar Educativo; Direitos das Crianças, entre outros.
É autor das obras «Do Fundamento e da Dispensa da Colação», «A Justiça e os Justos», «Palácio da Justiça» e «Educação, Arte e Cidadania». Tem proferido inúmeras palestras sobre temas ligados à Justiça, à Educação, à Cidadania, ao Direito de Crianças e Jovens e ao Direito em Geral. Concebeu e coordenou, na Universidade Autónoma de Lisboa,  o «Programa Malhoa», no domínio do exercício activo da cidadania. Concebeu e coordenou, na Região Autónoma dos Açores, o Congresso da Cidadania.
Premiado na área da Psicologia, foi agraciado por Sua Majestade, o Rei de Espanha com a Grã-Cruz da Ordem de D. Raimundo de Peñaforte; e por Sua Excelência o Presidente da República Portuguesa, com a Grã-Cruz da Ordem de Cristo.

LILIANA VASCONCELOS

Psicóloga clínica e formadora no Instituto de Psicologia e Neuropsicologia do Porto. Professora e Membro do Conselho Pedagógico do Instituto Cultural da Maia. Membro do Conselho Editorial e Científico da Revista Transdisciplinar de Gerontologia. Orientadora de Estágios Curriculares do Mestrado em Psicologia Clínica e da Saúde do Instituto Superior da Maia (2008-2009). Membro fundador do Projecto “Oficina dos Afetos” do Instituto de Psicologia e Neuropsicologia do Porto; Coordenadora entre 2008 e 2009 do Projeto-Piloto “Oficina dos Afetos”. Colaborou numa investigação de Doutoramento em Psicologia da Saúde e do Desenvolvimento pela Universidade de Lyon 2, França. Integrou uma equipa de investigação do Projecto de Doutoramento da Faculdade de Medicina da Universidade do Porto, no serviço de Imunoalergologia do Hospital de São João do Porto. Licenciada em Psicologia pelo ISMAI. Pós-graduada em Terapia Familiar: Sensibilização à Intervenção Sistémica pelo ISMAI/Sociedade Portuguesa de Terapia Familiar. A frequentar a Especialização em Psicoterapia Psicodinâmica na Sociedade Portuguesa de Psicologia Clínica. Membro da Sociedade Portuguesa de Psicologia Clínica.

MADALENA ALARCÃO

Licenciou-se (1982) e Doutorou-se (1991) em Psicologia (área de Psicologia Clínica) na Universidade de Coimbra (Faculdade de Psicologia e de Ciências de Educação). 
É Professora Associada da referida faculdade, onde tem leccionado na área da Família e Intervenção Sistémica (contextos clínico e forense). Atualmente é Vice-Reitora da Universidade de Coimbra. 
Desde 2007 integra o Grupo que faz assessoria técnica para Comissão Nacional de Protecção de Crianças e Jovens em Risco na área da Educação Parental. Tem apoiado o Instituto de Acção Social dos Açores na implementação de um projecto-piloto na área da Educação Parental com famílias de risco. Foi também supervisora científica do Projecto Itineris - Sistema de Aprendizagens para a Empregabilidade (Terceira, Açores) – no âmbito do qual foi construído um programa de Tutoria em Contexto Escolar.
No âmbito das actividades de transferência e valorização do conhecimento, tem realizado actividade clínica na área da Terapia Familiar e de Casal e actividade de avaliação forense, bem como diversa actividade de supervisão, no âmbito de solicitações de IPSS, do ISSS e de grupos de profissionais da área psicossocial. Foi juiz social do Tribunal de Família e Menores de Coimbra, por indicação da FPCE. É membro supervisor da Sociedade Portuguesa de Terapia Familiar.

MADEIRA PINTO

Licenciado em Ciências Jurídicas. Juiz auxiliar no Tribunal Judicial de Matosinhos (Junho de 1986 a Dezembro de 1988). Juiz no Tribunal Judicial de Cinfães (Janeiro de 1989 a Outubro de 1989). Juiz de Instrução Criminal no TIC do Porto (Outubro de 1989 a Abril de 1991). Juiz no Tribunal Judicial de Matosinhos (Abril de 1991 a Dezembro de 1992).
Juiz no Tribunal Judicial de Vila do Conde (Janeiro de 1993 a Setembro de 1994). Juiz no Tribunal Civel do Porto (Setembro de 1994 a Setembro de 1998). Juiz no Tribunal de Família e Menores do Porto (Setembro de 1998 ao presente).
Desde o mês de Junho de 1990 até 13/09/2004 exerceu funções, em regime de acumulação, de Juiz de Instrução Criminal da Região Militar do Norte (Serviço de Polícia Judiciária Militar).
Desde 14/09/2004 até 01.09.2006 exerceu funções, em regime de acumulação, como Juiz de Instrução Criminal na secção de Instrução Criminal Militar do TIC do Porto.
Desde Setembro de 2006 exerce funções como Juiz Desembargador no Tribunal da Relação do Porto. Efectivo neste Tribunal desde 03.09.2009.
Designado pelo CSM como um dos três candidatos ao concurso para eleger o juiz português ao Tribunal Europeu dos Direitos do Homem, que teve lugar em Abril de 2004.
Membro da Comissão Nacional de Avaliação dos Exames Finais de Estágio de 2007/2008 da Ordem dos Advogados, a convite deste organismo.
Membro efectivo do Conselho Geral da ASJP nos mandatos de 2006 a 2009 e 2009 a 2012.
Nomeado em Setembro de 2010 para a Comissão de Selecção dos Acórdãos da Relação do Porto para publicação informática.
Autor do livro “Direito das Crianças e dos Jovens, Legislação Nacional e Internacional Relevante Actualizada, Anotada e Comentada”. 
Autor de diversos artigos de opinião publicados no Jornal de Notícias. Interveniente em diversos programas de informação na RTP.

MANUEL ARAÚJO DA SILVA

Presidente Executivo da Mundos de Vida.

MANUEL PINTO

Doutorado em Ciências da Comunicação pela Universidade do Minho (1996), é actualmente Professor Catedrático do Instituto de Ciências Sociais da mesma Universidade, onde lecciona e coordena disciplinas da área do Jornalismo e da Educação para os Media. É membro da direção do programa doutoral em Ciências da Comunicação e do Centro de Estudos de Comunicação e Sociedade, do qual foi diretor até ao fnal de 2011. Foi, entre 1990 e 1998, jornalista e editor de Educação e Cultura no Jornal de Notícias, diário em que exerceu também o cargo de Provedor do Leitor, de 2004 a 2006. Entre os trabalhos mais recentes conta-se Educação para os Media em Portugal: Experiências, Actores e Contextos (coord. e co-autor, 2011) e Televisão e Crianças - Programação para a Infância nos Canais Generalistas Portugueses (RTP1, RTP2, SIC e TVI) (co-autor com coord. de Sara Pereira, 2009).

MANUELA VERÍSSIMO

Licenciada em Psicologia Clínica pelo ISPA e Doutorada em Psicologia do Desenvolvimento pela Université du Quebec à Montreal, Canadá. É, actualmente, Professora Associada no ISPA Instituto Universitário, onde coordena a área de Psicologia do Desenvolvimento. No âmbito da Unidade de Investigação em Psicologia Cognitiva, do Desenvolvimento e da Educação (UIPCDE) do ISPA é Coordenadora da linha 1: Psicologia do Desenvolvimento. Coordenou vários projectos de investigação na área da vinculação, financiados pela FCT e por outras instituições. Publicou dezenas de artigos em revistas científicas nacionais e internacionais e apresentou comunicações nos mais importantes congressos internacionais, relacionados com a Psicologia do Desenvolvimento, tendo sido convidada para a organização de simpósios na sua área de investigação. Foi consultora de projectos de investigação internacionais, nomeadamente em Espanha, França e EUA. Recebeu em 2011 o Bowlby Ainsworth Award, atribuído pelo Center for Mental Health Promotion e The New York Attachment Consortium pelas suas contribuições ao nível da investigação e ensino na área da Teoria da Vinculação.

MARIA BELO

Assistente na Universidade de Lovaina entre 1965/67. Em 1967/68, em Lisboa, Professora no ISPA. Membro da Comissão Instaladora do “Centro de Observação Médico-psíquico-pedagógico” infantil (COMPP). Trabalha até final de 1973 no Hôpital Psychiatrique du Havre e no Centre Jean Janet (dispensário de Saúde Mental). Trabalha também no Centre psicopedagógique de Saint-Germain-en-Laye e depois em La Nouvelle Forge onde recebe nomeadamente crianças filhas de emigrantes portugueses.
Em 1975/76, trabalha na Comissão da Condição Feminina. A partir de 1976, é docente universitária no Instituto Superior de Serviço Social e, a partir de 1978, na Universidade Nova de Lisboa. Entre 1986 e 1988 Professora Adjunta na ESE de Setúbal. Actualmente reformada de Professora Auxiliar (Área de Psicanálise e Cultura Portuguesa) na  Faculdade de Ciências Sociais e Humanas da Universidade Nova de Lisboa (Novembro de 2005).                
Doutoramento em Psicanálise e Cultura portuguesa: especificidade dos Portugueses na relação com o Outro (2000). Tese publicada em 2007 com o Título “Filhos da mãe” (Abordagem psicanalítica da frase de José António Saraiva: “Os portugueses comportam-se como um povo que teve mãe mas é órfão de pai”). Formação psicanalítica em Lovaina e Paris, (1965/67; 1968/75; 1987/94) na École Freudienne de Paris, de que é membro desde 1970. Desde 1987, já dissolvida essa instituição, inscreve-se na sua sucedânea, Association Lacanienne Internationale de que é membro analista, qualidade prevista nos novos estatutos.
Frequência dos dois primeiros anos de Doutoramento na Sorbonne e, em 1969, estágio em Psicologia Clinica em Étude des problèmes de la Naissance. Formação no Hôpital de la Pitié, serviço da Dr. Revault d’Allones.
Autora de bastantes artigos da especialidade em revistas portuguesas e estrangeiras.
Funda e preside o Centro Português de Psicanálise, que é membro da Association Lacanienne Internationale. Membro da mesa da Association Lacanienne Internationale (sede em Paris). Membro fundador da Fondation Européènne pour la Psychanalyse, com sede em Paris. 
Deputada ao parlamento Europeu (MPE) de Março 1988 a Julho 1994 e membro da Assembleia Municipal de Lisboa (1993-97). Membro da Comissão Nacional e Política do Partido Socialista.

MARIA FILOMENA GASPAR

Professora Auxiliar na Faculdade de Psicologia e de Ciências da Educação da Universidade de Coimbra. Licenciatura em Psicologia, Mestrado em Psicologia da Educação e Doutoramento em Psicologia da Educação pela Faculdade de Psicologia e de Ciências da Educação da Universidade de Coimbra.
É educadora parental nos Programas Incredible Years, Parenting Wisely e Mais Família. 
É terapeuta familiar (Sociedade Portuguesa de Terapia Familiar).
Desenvolve actividades de investigação no âmbito da educação parental e da educação familiar, da educação de infância e da intervenção socioeducativa com crianças, jovens e famílias. Investigadora responsável do projecto de investigação financiado pela FCT e intitulado “Prevenção/intervenção precoces em distúrbios de comportamento: eficácia de programas parentais e escolares” (2010-2013).
Consultora técnico-científica em projectos e serviços relacionados com a educação parental e familiar. 
Membro português da organização da First European Conference on Parenting Support que irá decorrer em Outubro de  2012 na Holanda. Oradora convidada da Council of Europe Conference: Building a child-friendly Europe: Turning a vision into reality (November 2011, Mónaco).
Membro internacional do Oxford Centre for Research into Parenting and Children do Department of Social Policy and Social Work, University of Oxford, UK
Entre as suas actividades de apoio à comunidade é de destacar a realização de várias comunicações para pais e docentes e outros profissionais em torno das temáticas da educação parental e familiar, da prevenção e da relação família-escola.
É autora e co-autora de livros e artigos nacionais e internacionais e dos programas de educação parental Mais-Família.

MARIA JOSE RODRIGO (Espanha)

Doutorada em Psicologia pela Universidade de Salamanca e Catedrática de Psicologia do Desenvolvimento e da Educação da Universidade de La Laguna em Tenerife. É directora do Master oficial inter-universitário em Intervenção e Mediação Familiar da Universidade de La Laguna e da Universidade de Las Palmas de Gran Canarias. É especialista no tema de teorias implícitas dos pais e suas repercussões sobre o processo de socialização dos filhos/as tanto em famílias padrão como em famílias em situação de risco psicossocial. É autora de numerosas publicações nacionais e internacionais, entre as quais se destacam os livros "Familia y Desarrollo Humano", da Editorial Anaya e o livro "Preservación Familiar", da editora Pirámide. É consultora especializada para o Ministério da Saúde, Trabalho Social e Igualdade nas questões de parentalidade positiva, e em colaboração com a Federação Espanhola de Municípios e Províncias produziu documentos relativos a esse conceito para os serviços sociais das corporações locais. Com a sua equipa desenvolveram programas grupais de Educação Parental que estão a decorrer em várias regiões autónomas, tais como Castilla y León e Castela-La Mancha. Actualmente é presidente da Sociedade Europeia de Psicologia do Desenvolvimento.

MARIA SALDANHA RIBEIRO

Licencia-se no ISPA, tendo terminado o curso em 1973, com média geral de 17 valores. Em 1987, é chamada a fundar no Tribunal de Família de Lisboa, o primeiro Gabinete de Psicologia, por iniciativa da Direcção Geral dos Serviços Tutelares de Menores. Em 1988 frequenta o Curso de Mediação Familiar do Instituto de Mediação de Montreal (Canadá) e em 1990 no Haynes Mediation Training Institute (Nova Iorque). Funda no mesmo ano o Instituto Português de Mediação Familiar de que é Presidente (com os Magistrados do Tribunal de Família de Lisboa). De 1991 a 1997 é bolseira da JNICT e da Fundação Gulbenkian. Nos seguintes anos é presidente do IPMF coordenando e leccionando cursos de Mediação Familiar. Publicou igualmente ao longo destes anos, os seguintes livros: "Que Divórcio?" em co-autoria com o Prof. Dr. Daniel Sampaio e Dr. Paes do Amaral; seguidamente publicou: "As Crianças e o Divorcio, a História da Ana"; "A Guarda Conjunta e Mediação Familiar e Amor de Pai – uma questão de alienação parental" em 2008. É autora de numerosas publicações e intervenções sobre estas matérias.
A alteração legislativa que introduziu em Portugal o Exercício conjunto da regulação da responsabilidade parental e o direito dos avós foi da sua iniciativa em conjunto com a Associação Portuguesa das Mulheres Juristas.

MARY CROWLEY (Reino Unido)

Mary Crowley é Presidente da Federação Internacional de Educação Parental, uma organização mundial que promove e apoia a educação para os pais em torno da relação pai-filho.
De 1999 a 2008, Mary foi a primeira Chefe-Executiva de “Parenting UK”, o corpo nacional de apoio para pessoas que trabalham com os pais. Durante esse tempo, atuou frequentemente como assessora do governo e ajudou a adequar políticas nacionais e provisões para os pais. Liderou o desenvolvimento de Padrões Ocupacionais Nacionais Para Trabalho Com Pais, aprovado em Abril de 2005, revisto em 2010. Os padrões estabeleceram o nível de formação necessária para educadores parentais e a forma como o trabalho deveria ser abordado.
Foi Diretora do Serviço de Educação de Adultos do bairro londrino de Waltham de 1993 a 1999, e Chefe do Departamento de Necessidades Especiais de 1986 a 1991.
Criou e dirigiu o projeto da rede transnacional UE, “Parenting in Europe in the 21st Century”, que liga as organizações que trabalham com os pais em oito países.
Recentes apresentações:
- Mónaco (novembro 2011): Conferência do Conselho da Europa "Construir uma Europa para e com as crianças".
- Oregon EUA (maio 2011): Fórum Nacional de Sistemas de Desenvolvimento Profissional para Educação Parental.
- Moscovo (setembro 2010): Conferência Mundial UNESCO sobre Cuidados na Primeira Infância e Educação.
- Teerão (dezembro 2010): Famílias e Novos Media.
Recebeu o OBE (Ordem do Império Britânico) por serviços para crianças e famílias em 2008.
Autora de diversas publicações.

MILICE RIBEIRO DOS SANTOS

Psicóloga, terapeuta familiar. 
Actualmente formadora e supervisora na Sociedade Portuguesa de Terapia Familiar.
Foi Professora Coordenadora na Escola Superior de Educação do Politécnico do Porto (1985-2010) e Professora Convidada na Faculté de Psychologie et Sciences de L’ Éducation da Universidade de Nanterre, Paris X e na Université René Descartes, Paris V (2000-2010).
Coordenou e participou em vários projectos de investigação europeus e nacionais. Foi  membro do grupo 15 do RIF, Réseau d’Institutions de Formation da Comunidade Europeia (Task Force).
Integra a equipa de avaliação dos programas de Educação Parental no âmbito do Protocolo de Cooperação entre a Comissão Nacional de Protecção às Crianças e Jovens em Risco, o Instituto da Segurança Social, Universidades e Politécnico (2007-2009).
Pertenceu aos corpos directivos da APF, Associação para o Planeamento Familiar, AIFREF, da Association Internationale de Formation et Recherche en Éducation Familiale, do IEDPE, Institut Européen pour le Développement des Potentialités de Tous les Enfants e da SPTF, Sociedade Portuguesa de Terapia Familiar.
Agraciada com a Ordem de Mérito.
Autora do programa Escola de Pais Parentalidades desenvolvido pelo Centro de Intervenção Pedagógica da Escola Superior de Educação.
Autora de vários livros e artigos.

OLÍVIA DE CARVALHO

Licenciada em Psicologia, possui o Curso de Pós-Graduação “Supervisão de Estudos de Caso em Contextos de Risco e Sofrimento Psicológico e Sócio-Educacional (Crianças e Jovens)” da Faculdade de Psicologia e de Ciências da Educação da Universidade do Porto (FPCEUP), especializada em Direito das Crianças pela Universidade Católica Portuguesa, mestre em Psicologia do Desenvolvimento e da Educação da Criança - Especialidade de Intervenção Precoce - pela FPCEUP.
Actualmente é doutoranda do Curso de Psicologia da FPCEUP, professora, especializada em Intervenção Precoce. Lecciona na Universidade Portucalense - Cursos de Licenciatura de Psicologia e de Educação Social e de Mestrado em Psicologia e Educação Especial.

ORLANDA CRUZ

Professora Associada da Faculdade de Psicologia e de Ciências da Educação da Universidade do Porto (FPCEUP). Doutorada na área de Psicologia do Desenvolvimento pela FPCEUP. Regente das disciplinas da área de Psicologia do Desenvolvimento das Licenciaturas em Psicologia (actualmente Mestrado Integrado em Psicologia) e em Ciências da Educação. Coordenadora do Mestrado em Intervenção Psicológica com Crianças e Adolescentes. Orientadora de diversas teses de Mestrado e Doutoramento. Investigadora do Centro de Psicologia da Universidade do Porto, tendo como principal área científica de investigação Psicologia do Desenvolvimento. Investigadora em diversos projectos financiados. Autora de várias publicações. É Presidente do Conselho Directivo da FPCEUP, Directora do Programa Doutoral em Psicologia da FPCEUP, Membro da Conselho de Representantes, Membro do Conselho Científico, Membro do Conselho Pedagógico, Membro do Conselho de Subunidade Orgânica de Psicologia, Membro da Comissão Científica do Mestrado Integrado em Psicologia, Membro da Comissão Científica do Mestrado em Temas de Psicologia.

RACHEL EPSTEIN (Canadá)

Rachel Epstein (MA, Sociology; PhD (c), Education) tem sido uma das activistas da Parentalidade LGBTQ, educadora e investigadora há mais de 20 anos e coordena a Rede Parental LGBTQ do Centro de Saúde de Sherbourne, em Toronto, Ontário, Canadá. A Rede Parental LGBTQ providencia recursos, informação e apoio a pais LGBTQ, a futuros pais e suas famílias, e formação para profissionais na área da saúde, trabalho social, jurídico e educacional sobre como tornar os serviços acessíveis a famílias LGBT.

Em 1997, juntamente com a obstetra Kathie Duncan, Rachel fundou o Programa Dykes Planning Tykes (DPT), um curso de 12 semanas para mulheres lésbicas/bi/gay que ponderam a parentalidade. Rachel tem desenvolvido o curso há 15 anos. DPT deu origem a três outros cursos da família gay e trans: Daddies & Papas 2B, Trans-Masculine People Considering Pregnancy and Queer & Trans Family Planning(s). Rachel tem fornecido recursos para a defesa e educação para os pais LGBT e futuros pais na área da Grande Toronto (GTA) e fora dela, e trabalha incansavelmente para mudar as atitudes e práticas na comunidade em geral. Rachel está na vanguarda da pesquisa sobre a parentalidade gay no Canadá e é conhecida como uma educadora qualificada e compassiva. 

Rachel e sua filha, e co-parente, celebraram o 2005 Charter Challenge que resultou em mudanças nos procedimentos de registo de nascimento em Ontário, no Canadá, e por vários anos ela tem defendido as comunidades LGBT com a Agência Reprodução Assistida Humana em Ottawa. Rachel também trabalha como mediadora profissional com os pais LGBT e futuros pais. 

Rachel publicou sobre uma ampla gama de questões dos pais LGBT, incluindo a reprodução humana assistida, descendência gay em escolas, gravidez masculina, adoção e as tensões entre a sexualidade gay, radicalismo e parentalidade. É editora da antologia Who’s Your Daddy? And Other Writings on Queer Parenting (Sumach Press, 2009). Em 2007, Rachel foi nomeada o "Honoured Dyke" pelo Toronto Pride Committee e em 2008 ela foi a vencedora do Prémio Steinert & Ferreiro da Community One Foundation, reconhecendo a sua liderança e contribuições fundamentais para o apoio, reconhecimento e inclusão das famílias LGBT no Canadá.

RAQUEL QUELHAS LIMA

Psiquiatra da Infância e da Adolescência e Psicanalista (membro associado da Sociedade Portuguesa de Psicanálise; reconhecida pela Associação Psicanalítica Internacional como Psicanalista de adultos; em formação de Psicanalista de crianças e adolescentes).
Exerceu actividade clínica no Hospital de Aveiro e no Hospital Maria Pia onde fez parte da Direcção Clínica como Directora do Internato Médico de 2003 a 2007. Durante dois mandatos (2003-2009) integrou a Direcção do Colégio da Especialidade de Pedopsiquiatria da Ordem dos Médicos.
É autora e co-autora de vários artigos relativos à sua actividade clínica e de investigação, nomeadamente nos campos da Pedopsiquiatria e da Psicossomática.
Exerceu actividade docente na Escola Superior de Tecnologias da Saúde, no Porto, e foi formadora em vários cursos para médicos de Medicina Geral e Familiar, Psiquiatria e Pedopsiquiatria.
A partir de 2008 tem exercido apenas clínica privada dedicando-se, essencialmente, à Psicanálise e Psicoterapia de Orientação Psicanalítica de crianças, adolescentes e adultos e à supervisão de psicoterapias.
Desde 2011, integra a Direcção do Instituto de Formação e Terapêutica Psicanalítica do Porto (orgão da Sociedade Portuguesa de Psicanálise) e colabora no Programa de Formação Psicanalítica do mesmo.

RUI DO CARMO

Procurador da República.
Membro do Observatório Permanente da Adopção do Centro de Direito da Família da Faculdade de Direito da Universidade de Coimbra.

RUI MOTA CARDOSO

Licenciado em Medicina pela Universidade do Porto. Médico Especialista em Psiquiatria. Ex-membro do quadro de médicos especialistas do Serviço de Psiquiatria do Hospital de S. João. Doutor em Medicina pela Universidade do Porto, na Especialidade de Psiquiatria. Agregado em Medicina pela Universidade do Porto, Grupo de Neuropsiquiatria. Professor Catedrático da Faculdade de Medicina do Porto. 
Director do Serviço de Psicologia Médica da Faculdade de Medicina do Porto. Regente das Unidades Curriculares de Psicologia Médica do Curso de Medicina.
Director do Curso de Pós-Graduação da FMUP: “Competências de Comunicação Clínica”. Director do Curso de Mestrado da U.P.: “Comunicação Clínica”.
Ex-Coordenador da Residência em Saúde Mental do Curso de Medicina da Universidade do Minho.
Membro do Instituto de Patologia e Imunologia Molecular da Universidade do Porto, onde coordena a Unidade de Educação Contínua e Difusão Científica. 
Sócio Fundador e Titular da Sociedade Portuguesa de Psicodrama. Primeiro Presidente da sua Assembleia-geral. Terapeuta didacta.
Fundador e primeiro Presidente da Sociedade Portuguesa de Psicossomática. 
Fundador e Ex-Presidente da Direcção do IPSSO – Instituto de Prevenção do Stress e Saúde Ocupacional.

SUSANA OLIVEIRA

Psicóloga Clínica, Mestre em Neuropsicologia Clínica. Docente do Mestrado em Neuropsicologia e investigadora do Departamento de Psicologia do Instituto Superior de Ciências da Saúde Norte (ISCS-N). Exerce prática privada em diversas clínicas e no Instituto de Psicologia e Neuropsicologia do Porto. 

TERESA BRANDÃO

Doutorada no Ramo de Educação Especial e Reabilitação com tese apresentada e defendida na área da Formação Parental/Intervenção Precoce.
Professora Auxiliar com nomeação definitiva, no Departamento de Educação Especial e Reabilitação da Faculdade de Motricidade Humana – Universidade Técnica de Lisboa.
Membro investigador, desde 2006, do CIPER (Centro Interdisciplinar Para o Estudo da Performance Humana), financiado pela Fundação para a Ciência e Tecnologia.
Regente das disciplinas de Intervenção Precoce, Modelos de Intervenção Familiar, Modelos de Intervenção em Psicomotricidade, Actividades de Estágio I e II da Licenciatura em Reabilitação Psicomotora - 1º Ciclo e unidade curricular de Programas de Intervenção Precoce do Mestrado em Reabilitação Psicomotora - 2º Ciclo.
Coordenação de estágios do 1º e 2º Ciclo no âmbito da Intervenção Precoce.
Docente em diversos Cursos de Mestrado e Pós-graduação nas áreas da intervenção precoce e formação parental.
Orientadora de teses de doutoramento e mestrado nas áreas da Intervenção precoce e avaliação do desenvolvimento da criança e formação parental.
Membro da comissão científica de revistas nacionais com “peer review”.
Prelectora e formadora em diversas conferências, cursos e acções de formação a nível nacional e internacional no âmbito das seguintes temáticas: Intervenção Precoce, Formação parental, Famílias de crianças com Necessidades Especiais, Avaliação em Intervenção Precoce, Estruturação e organização de contextos lúdicos destinados a crianças com NEE, Prematuridade e Intervenção Precoce, etc.
Coordenadora de vários Programas de Formação Parental.
Consultora técnico-científica em projectos e serviços relacionados com a intervenção em crianças com deficiências, protecção de menores em situação de risco e formação parental.
Consultoria técnico-científica junto da Comissão Nacional de Protecção às Crianças e Jovens em Risco 2007-2010 - protocolo formação parental.
Consultora Cientifica da EMDIIP (Equipa Móvel Desenvolvimento Infantil e Intervenção Precoce).
Membro da I.S.E.I (International Society on Early Intervention).
Membro da A.I.F.R.E.F. (Association Internationale de Formation et Recherche en Education Familiale).
Sócio honorário da APPT21.

VALÉRIA SOUSA GOMES

Docente Universitária do Instituto Superior da Maia, Diretora do Instituto de Psicologia e Neuropsicologia do Porto. Psicoterapeuta, neuropsicóloga e formadora neste mesmo Instituto. Doutoranda de Psicologia da Saúde e do Desenvolvimento na Universidade de Lyon 2, França, mestre em Psicologia Educacional pelo ISPA, Diploma de Estudos Aprofundados de Psicologia Cognitiva (D.E.A.) pela Universidade de Lyon 2, França, e Licenciada em Psicologia pelo ISMAI. É pós-graduada em Neuropsicologia e em Consulta Psicológica e Psicoterapia. A frequentar a Especialização em Psicoterapia Psicodinâmica na Sociedade Portuguesa de Psicologia Clínica.

VÍTOR FRAGOSO

Colaborador e Professor de “Inteligência Emocional” e “Relaxamento e Movimento Corporal” na Universidade Sénior Contemporânea do Porto (há 7 anos); Licenciado em Psicologia pelo ISMAI; Pós-graduado em Terapia Familiar pelo ISMAI/Sociedade Portuguesa de Terapia Familiar; Director da Revista Transdisciplinar de Gerontologia; Membro do conselho editorial da Revista IGT na Rede – Instituto de Gestalt-Terapia e Atendimento Familiar, Rio de Janeiro; Psicólogo e colaborador no Instituto de Psicologia e Neuropsicologia do Porto; Formador e colaborador na Formed®; Co-autor do Livro “Processos e Estratégias do Envelhecimento: Intervenção para um envelhecimento activo”.